mariMontar um aquário marinho é muito simples, e ao contrário do que muita gente diz, mantê-lo não é trabalhoso e muito menos  complicado. Quanto maior o aquário, mais fácil é mantê-lo, pois o volume maior de água confere mais estabilidade ao “mini-ecossistema”, diminuindo variações de temperatura, Ph, salinidade, etc… Além disso distribui melhor as concentrações de matéria orgânica, evitando níveis tóxicos nos momentos mais críticos do aquário, quando morre um peixe e não é retirado em curto espaço de tempo, por exemplo. A estrutura para se montar e manter qualquer aquário marinho consiste basicamente de:

Filtragem: o ideal é utilizar-se de uma caixa de circulação (ou como os norte americanos dizem, sump), onde a água passa através de elementos filtrantes -Lã acrílica, carvão ativado, resinas removedoras de fosfato,silicato e nitrato etc…; e onde também é colocado o Skimmer, um filtro auxiliar responsável por retirar excesso de materiais orgânicos que podem comprometer a qualidade de água do aquário. A caixa de circulação nada mais é do que uma caixa de vidro menor que o aquário com algumas divisórias para receber os materiais filtrantes, um par de mangueiras ou tubulações para trocar água entre o aquário principal e esta caixa, e uma bomba potente o suficiente para elevar água até a altura da borda superior do aquário sendo que a água retorna para a caixa por gravidade. O ideal é que esta bomba tenha um fluxo efetivo de pelo menos 10 vezes o volume do aquário em litros por hora. Exemplo: um Aquário de 200 litros, pelo menos uma bomba de uns 2000 a 2500 litros por hora. Existem ainda gira-giras que são aparelhos desenvolvidos para variar o fluxo de água que vem da caixa a fim de melhorar a distribuição de água por todo o aquário melhorando assim a oxigenação e a circulação.

Circulação: A água de qualquer aquário marinho deve ser bem movimentada , com o intuito de simular as correntes que atingem os recifes de corais, por exemplo. Para isso torna-se necessário utilizar de bombas de circulação dentro do aquário. Toda a água do aquário deve passar no mínimo 10 vezes a cada hora pelas bombas. Ou seja, para um aquário de 200 litros, no mínimo 2 bombas de 1000 litros/hora ou 3 de 700 litros/hora. O ideal é procurar direcionar os jatos das bombas para direções opostas, para que haja uma melhor distribuição do fluxo de água.
Salinidade: Para atingirmos a salinidade igual à da água marinha devemos usar o sal sintético próprio para isso. O sal deve  ser de boa qualidade, livre de nitratos e fosfatos e de fácil e mari2

rápida dissolução. A densidade ideal para nossos aquários marinhos é de 1.020 a 1.024 g / l. Para sabermos a densidade da água de nosso aquário usamos o densímetro ou um refratômetro que é mais preciso.

Iluminação: A iluminação dos aquários marinhos deve  ser potente e selecionada. Uma forma grosseira,simples, e eficiente de se “dosar” a potência de luz a ser instalada no aquário é utilizar-se de ½  a 2 watts por litro de água. Ex. aquário de 200 litros, devem ser utilizados de 100 a 400 watts de luz. O mínimo de ½  watt por litro só é recomendo para o aquário que não pretende receber seres que dependem  de muita luz, como alguns corais duros e tridacnas.  As lâmpadas recomendadas são as fluorescentes T5 HO e HQI´s. As fluorescentes T5 HO possuem duas vezes mais eficiência luminosa (lumens/watts)  que um tubo fluorescente normal, o que facilita a instalação, pois permite o uso de um número menor de lâmpadas para atingir a potência desejada.

 

Adquira o seu aquário com quem entende do assunto, Acqua Marine!

Desenvolvido por:
Top
background